Repercute articulação para afastar governador

101

Continua repercutindo a gravação que viralizou nas redes sociais, na segunda-feira, revelando possível articulação dos deputados estaduais, Maurão de Carvalho (MDB), presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia; e Jesuíno Boabaid (PMN), com o intuito de montar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para cassar o mandato do governador Confúcio Moura, mesmo partido de Maurão, que é pré-candidato ao governo Estadual. No áudio, Jesuíno cita até em “matar” politicamente o governador Confúcio. Ontem na Assembleia Legislativa, o silêncio reinou, à exceção da mobilização dos professores em greve.

A gravação teria acontecido durante reunião entre os dois deputados, e Jesuíno explica como fazer todo o processo, indicando que o pedido de impeachment pode ser feito por outro deputado, Hermínio Coelho (PDT) ou outra pessoa que ninguém desconfiaria.

Em outro trecho, os parlamentares reclamam do vice-governador Daniel Pereira (PSB), que assumiria o governo com a desincompatibilização de Confúcio em abril. Maurão afirma que vai falar com o governador para não renunciar ao cargo, desistindo, assim, de concorrer ao Senado. Toda a trama seria para beneficiar a possível candidatura de Maurão. “Não fale pra ninguém. Eu faço o pedido de impeachment, mas pense num pedido, igual fizeram o da Dilma. Contas reprovadas. Só falar aquela condenação de tomada de contas, da ponte, ao vem, considerando, considerando, aí pede, chega. Maurão, ele vai se tremer”.

Maurão ainda diz que vai dizer a Hermínio como deve fazer o discurso de pedido de impechment do governador, e ainda chama alguém de “banana”.

Deputados condenam grampo e hermínio critica 

Os deputados Maurão e Jesuíno não negaram a conversa, mas condenaram o grampo chamado de “criminoso” pelo presidente da Casa de Leis de Rondônia. “É um grampo criminoso, clandestino e ilegal, obtido por meios ilícitos e escusos, com o claro objetivo de tentar denegrir a minha imagem junto à opinião pública, em razão de meu nome despontar como pré-candidato ao governo”, reagiu Maurão.

Diante da repercussão negativa, tanto Maurão quanto Jesuíno afirmam que a gravação foi editada, descontextualizada, e manipulada para trazer ao público somente o que interessava aos “criminosos”. que fizeram a tal gravação clandestina, com trechos emendados, fora do contexto e espalhados com a intenção de prejudicar a mim e à Assembleia”.

Ainda de acordo com Maurão, a Assembleia está discutindo a criação de uma possível CPI para apurar pagamentos de uma obra na ponte do anel viário, em Ji-Paraná.

Já o deputado Hermínio explicou que desde que assumiu o mandato em 2011 tentou aprovar várias CPIs, “porém jamais obteve êxito justamente por falta de apoio dos demais integrantes do Parlamento”; e afirma que vê como “tacanha e extremamente vil a tentativa criminosa de vincular seu nome à trama envolvendo chantagem e conspiração contra o governador”.

Fonte: Diário da Amazônia