PORTO VELHO – Apontando irregularidades na prestação de contas da atual diretoria do Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário de Rondônia (Sinjur), nesta última semana, o presidente do Conselho Fiscal da instituição, Raiclin Silva, entrou com pedido de renúncia do cargo junto ao Ministério Público do Trabalho.

O presidente do Conselho Fiscal do Sinjur, Raiclin Silva, protocola sua renúncia no Ministério Público do Trabalho

No pedido de renúncia, o servidor do Judiciário estadual alega que está sendo prejudicado em suas funções, enquanto presidente do Conselho Fiscal. Dentre os motivos elencados no documento, Raiclin diz que a diretoria da entidade sindical desvirtuou a composição do conselho, que, segundo ele, foi eleita em assembleia geral. “Um dos ficais eleitos, que ocupava cargo de segundo secretário, foi convenientemente substituído, o que desarticulou a ação fiscalizadora do Conselho”, explicou.

Como agravante, o presidente do conselho informa que os dois filiados que ora ocupam cargos de fiscais, por conta própria, aprovaram as contas do Sinjur, desrespeitando totalmente o estatuto aprovado pelos filiados do sindicato.

Raiclin afirma que, mesmo na condição de presidente do Conselho, foi impedido de analisar as contas em tempo hábil e sequer foi consultado pela direção sindical ou pelos conselheiros que aprovaram as contas.

“Vendo que estou tendo a imagem desgastada, sendo desrespeitado e, muitas vezes, ofendido em minha honra, decidi pelo desligamento definitivo do Conselho Fiscal”, salientou Raiclin, acrescentando que a atual diretoria do sindicato não está respeitando a existência do Conselho no quesito de autonomia e acessibilidade. “Ou seja, está clara e notória as intenções da atual diretoria do Sinjur em manter as contas na total obscuridade, em total desrespeito ao direito do sindicalizado”.