Porto Velho, RO – O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Laerte Gomes, anunciou a criação de uma comissão especial hoje (17) para apurar várias denúncias de consumidores contra a atuação da Energisa. No momento em que concedia entrevista à rádio Transamérica na tarde de segunda-feira (16) em Porto Velho, dezenas de ouvintes utilizaram as plataformas de interação da emissora para falar dos eventuais abusos da nova e única concessionária de energia em Rondônia.

“De Nova Mamoré a Costa Marques e de Porto Velho a Vilhena a reclamação contra a Energisa é absurda. Precisamos apurar as denúncias de que relógios estão sendo adulterados, trocados por outros equipamentos; aumento substancial nas contas de energia e cortes durante os finais de semana, desrespeitando uma Lei aprovada pela Assembleia Legislativa e a própria recomendação na ANEEL”, disse o presidente.

Segundo o parlamentar, dependendo do desdobramento da comissão especial, os deputados poderão criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar até o processo de privatização da antiga Ceron. “Sabemos que a Energisa pagou R$ 50 mil pela empresa, mas deve a Rondônia R$ 1 bilhão. O caso é que a Energisa só quer pagar R$ 700 mil e o resto transformar em incentivo fiscal. Isso não vamos aceitar. Devem ao nosso Estado, então paguem”, acrescentou o parlamentar. Laerte relata que ouviu um relato pessoalmente de um usuário que teve sua energia cortada, o relógio foi levado de sua residência e após as contas pagas somente 7 dias depois o fornecimento foi regularizado.

De Nova Mamoré a Costa Marques e de Porto Velho a Vilhena a reclamação contra a Energisa é absurda

Na entrevista, Laerte também respondeu a questionamentos de servidores da Saúde, aproveitando para falar da agilidade da Assembleia em aprovar o PCCR dos professores, regulamentando o piso salarial da categoria, e cobrar do Executivo o mesmo tratamento para as categorias da Saúde e aos policiais civis, que estão há anos com os salários congelados.

Sobre a economia de R$ 200 milhões do Governo, o presidente lembrou aos ouvintes que o Estado estava com um déficit de R$ 300 milhões e que aos poucos estão sendo realizados investimentos em infraestrutura, citando o exemplo da RO-135 que liga a região central a 429. “Lembrando que o Governo está fazendo serviços paliativos. É necessário um planejamento para recapear as rodovias no próximo ano”, aconselhou.

Por fim, o presidente Laerte Gomes anunciou a assinatura da Ordem de Serviço, provavelmente nesta semana, das obras de saneamento em Ji-Paraná no valor de R$ 180 milhões. O deputado considera a maior obra do município e que colocará a cidade em outro patamar de desenvolvimento. Ele lembrou na entrevista que quando foi prefeito de Alvorada do Oeste em meados de 2004/2005 conseguiu trazer 100% de esgotamento para a cidade. “Conheço bem como a cidade se desenvolve após essas obras”, arrematou.