BRASÍLIA – Em um julgamento rápido, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o registro de candidatura da prefeita de Vilhena Rosani Donadon e determinou a realização de novas eleições no município. Rosani Donadon foi acusada de ser ficha suja à época do registro da candidatura, mas conseguiu passar pelo crivo dos juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE). A Corte Superior Eleitoral entendeu que a prefeita estava inabilitada à época do registro da candidatura.

A agora ex-prefeita Rosani Donadon e seu vice, Darci Cerrutti 

Por maioria, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou novas eleições em Vilhena, após cassar o registro da prefeita Rosani Donadon (MDB). A decisão reformou entendimento do Tribunal Regional Eleitoral rondoniense, de que a prefeita estava elegível depois de sofrer condenação por abuso do poder econômico.

Para os ministros da Corte, Rosani estava mesmo inelegível. A defesa ainda tentou argumentar que a prefeita não teve envolvimento, mas o relator apresentou provas que o ex-prefeito Marlon Donadon organizou o evento em uma chácara em apoio direto a Rosani e Melki Donadon, o então candidato.

A tese de Rosani contou com apoio apenas do ministro Napoleão Maia.

De acordo com a decisão, o TRE fica agora obrigado a marcar data para nova eleição.

O advogado Nelson Canedo representava a ‘Coligação Pra Fazer a Diferença’, que entrou com recurso contra a liberação de Rosani pelo TRE de Rondônia. Ele argumentou que os precedentes recentes do TRE consideram que o candidato tem que estar elegível ao cargo no dia da eleição.

Na quarta-feira, ao julgar o caso de um prefeito que guarda várias semelhanças com o da vilhenense Rosani Donadon (MDB) o TSE pode já havia sinalizado qual será o resultado do julgamento de hoje. Preocupados com o resultado do julgamento, a própria prefeita, acompanhada do marido, o ex-prefeito Melki Donadon, e de secretários municipais, está em Brasília para acompanhar o julgamento no TSE