POLÍTICA & MURUPI – Léo Ladeia

19
Leo Ladeia

FRASE DO DIA:

“Em troca de apoio político, o governo brasileiro sinaliza com o aumento do desmatamento a proprietários de terra, colocando em risco a contribuição do país para o Acordo de Paris”. – Da “Nature Climate Change”, respeitada publicação científica

1-Na trave

“Por um triz” o Dr Rogério Favreto, desembargador plantonista do TRF-4 não provocou um erro de consequências difíceis de imaginar. No domingo pintou um pedido de HC para Lula e foi só requentar a ideia de uma candidatura como fato novo e assinar o “Alvará de Soltura”. Ficou feio para quem se inclina pela soltura do ex-presidente, para os aloprados que armaram a treta mal ajambrada, para o país por evidenciar a insegurança jurídica e o aparelhamento do estado. Já se sabe que ideia era soltar o preso e/ou desmoralizar a justiça. E conseguiram em parte.

2-Selvageria

No domingo à noite, moradores invadiram o quartel da PM na cidade de Borba no Amazonas e de lá retiraram Gabriel Lima Cardoso, 18 anos, suspeito de estuprar e matar Patriciane Barros dos Santos de 14 anos. Gabriel foi morto a pancadas numa sessão publica de barbárie e teve o corpo foi queimado como mostram cenas de um vídeo que roda o mundo.  A descrença na justiça é só um dos fatores que compõem o caldo tétrico que levou ao ato, mas a doença social tem muito mais que descrença. E pior, estamos como que anestesiados com e pela violência.

3-Desmatamento

A meta brasileira assumida no Acordo de Paris é de 37% de redução em 2025, considerando-se os níveis de 2005. Entre 2005 e 2012, o Brasil reduziu emissões em 54% e a redução do desmatamento foi a responsável pelo desempenho. Depois disso, o caldo entornou, pois “Em troca de apoio político, Temer assinou MP’s e decretos reduzindo regras para licenciamento ambiental”, diz Roberto Scheaffer um dos 6 cientistas que relataram a atual situação ambiental. O Brasil é o sétimo emissor do mundo e o alto custo para manter a meta deverá ser repassado a outros setores, inclusive tendo que comprar créditos de outros países. Um absurdo.

4-Greve no busão

“Na briga da maré com o rochedo, o marisco sempre leva a pior”. Eis o prato do dia. Tendo por pano de fundo a criação de um novo tipo de transporte para a capital, o taxi compartilhado, dois sindicatos – Sintax e Sitetuperon – puseram gasolina para apagar as brasas do movimento que começou com a entrada do aplicativo Uber em Porto Velho. O fogo brando virou labareda e vai incendiando as discussões na Câmara de Vereadores, tendo em vista que a possibilidade de a Prefeitura autorizar o serviço está ficando cada vez mais menor. E o povo paga o pato.

5-Dois alvos

A semana promete uma saraivada de flechas contra Sérgio Moro. Luminares do STF e do STJ falam abertamente que o juiz deu pretexto para pedidos de punição pois estando de férias não deveria ter tomado qualquer atitude contra a soltura de Lula. É a barragem que somente com um fio d’água tenta se romper e aniquilar a Lava jato. Outro que vai receber uma saraivada de flechas é Bolsonaro. O centro e a esquerda buscam desconstruir sua imagem. O alvo foi colado em suas costas. O problema é que Bolsonaro parece massa de pão. Cresce quando apanha.

leoladeia@hotmail.com