Lúcio Albuquerque

Novo esporte olímpico estreia nos Jogos de Tóquio em 2020: o skate. Forte candidato brasileiro a sair de lá com uma medalha. Aos 21 anos, Murilo Peres é uma boa aposta brasileira. 

Já que o assunto é esporte olímpico e skate, é bom começar a se familiarizar com o “dicionário” dos amantes deste esporte: banca: grupo de amigos; bico sujo: um cara chato, que fala muita bobagem
Bombeta: boné;
Cabrero: situação ou manobra difícil;
Chegado ou veio: amigo; dropar: descer a pista com o skate;
Ganguero: pessoa que se veste meio largadão, estilo hip hop;
Goma: casa;
Insano: muito bom;

Jam: reunir a galera para andar de skate;
Madeira: skate;
Maria Rolamento: garota que vai para as pistas só para paquerar os skatistas;
Nipe: quando a pessoa está bem arrumada, cheia de estilo;
Periguete: meninas que dão em cima de todos os caras;
Piscina: a pista de skate;
Pranchinha: skate;
Quebrada: bairro ou região;
Rad: radical;
Sangue bom: pessoa bacana;
Session: treino;
Shape: madeira do skate;
Skatete: menina que usa roupas de skatista, mas não é skatista;
Slam: quando uma pessoa cai do skate e se estoura todo;
Style: pessoa com estilo;
Upgrade: a evolução de um skatista numa manobra;
Vacilão: bobão.

http://atrevida.uol.com.br/Edicoes/148/artigo37223-1.asp
Você pode contribuir com a coluna via jlucioalbuquerque@gmail.com