Sérgio Pires

OPINIÃO DE PRIMEIRA – O problema é recorrente e grave. Será que um dia nos livremos dele? O poderio das ONGs na Amazônia é impressionante. Elas movimentam milhões e milhões de reais, grande parte dinheiro tirado dos cofres públicos, tornando a expressão “não governamentais”, no geral, apenas uma espécie de arremedo, de gozação com a cara dos incautos. Suas estratégias envolvem redações de grande jornais e emissoras de TVs, por onde espalham, sempre que correm o risco de perder qualquer espaço, como está ocorrendo agora, de que o desmatamento na floresta cresceu espetacularmente; que tantos campos de futebol foram jogados no chão; que há risco de extermínio de algumas espécies; que vários países estão protestando contra a destruição da Amazônia e outros absurdos que empurram goela abaixo, já que se adonaram das informações sobre nossa região, sejam elas verdadeiras ou pura invencionice. Agora, conseguiram a parceria da Rede Globo para produzir uma mini série em que várias mulheres são heroínas, em defesa da floresta. E quem não concorda com elas é bandido. Inventaram também que nos últimos meses o desmatamento na floresta aumentou 60 por cento. Espalham que o acordo do Mercosul com países europeus corre risco por causa da “política destruidora do meio ambiente do governo Bolsonaro”. Qualquer brasileiro com responsabilidade e que queira viver sob a verdade, é claro que não acredita nesses sanguessugas, que é o que as ONGs  são, principalmente as internacionais, que apenas atendem os interesses estrangeiros. Portanto, antes de comentar bobagens sobre questões ambientais, tente se informar corretamente. Não vá na conversa desses malandros.

Elas são milhares, é bom que se saiba. Na Amazônia, segundo informações do Google, até hoje não contestadas, existem nada menos do que 100 mil ONGs atuando, milhares delas estrangeiras, falando claramente o idioma dos interesses de seus países de origem. Recebem dinheiro de empresas e de suas nações de origem, claro, mas muitas, ainda neste pacote, também ganham dinheiro do governo brasileiro (isso felizmente, vai acabar!) para agir em nome de seus países, embora mintam que querem é defender as questões ambientais brasileiras.  Muitas representam nações em que o meio ambiente foi destroçado e incontáveis grupos de animais, dizimados. Agora, do alto do poder destrutivo que tiveram em suas origens, querem mandar e desmandar em terras alheias, como o fazem no Brasil há tantos anos, apoiados, nas últimas décadas, por governos daqui mesmo, de ladrões e antipatriotas. Muito bem faz o governo Bolsonaro, que vai cortar todas as verbas a esses malandros, apoiando apenas ONGs verdadeiras, que são importantes e que ajudam os brasileiros de regiões que mais necessitam. Temos que nos livrar dessas pragas. Como curiosidade; você sabia que tem mais ONGS e gente dessa turma na nossa região defendendo os índios do que o número de índios? Infelizmente é a mais pura verdade. Por aí, você pode tirar suas conclusões…

UM GOL CONTRA. DE PLACA!

A Câmara de Vereadores de Porto Velho, de vez em quando, dá algumas pisadas na bola. Não se compreende se por ingenuidade ou pura incompetência mesmo. Depois da decisão de aumentar em 100 por cento a verba de gabinete (passando de 9 mil para 18 mil reais) e depois baixar para 15 mil, numa tentativa de tentar uma saída malandra, como se a verba tivesse baixada, os vereadores cometeram outra daquelas burrices totalmente desnecessárias, que caem muito mal perante a opinião pública. Iniciativa do vereador Márcio Pacelli, do PSB, obriga a Prefeitura colocar os nomes de todos os 21 vereadores nas placas de inauguração de obras. Besteirol puro. O prefeito Hildon Chaves ainda tentou quebrar o galho dos nobres edis, impedindo que a bobagem fosse adiante. Vetou a proposta. Ao invés de aproveitar a deixa e cair fora do absurdo, a maioria dos nobres edis não aceitou o veto do Prefeito e o derrubou. O assunto virou motivo de criticas ácidas em vários setores da sociedade, Virou também motivo de piadas e gozações sem fim, pela decisão da Câmara em tratar de um assunto tão pífio, de interesse apenas dos umbigos dos próprios membros do poder, que cada vez menos tem lutado na defesa dos interesses maiores da sociedade. Vendo a idiotice feita, o vereador Aleks Palitot, do alto da sua criatividade e não querendo entrar na vala comum da mediocridade, já acionou seus advogados. Vai entrar com uma petição impedindo que seu nome seja incluído em placas de obras inauguradas pela Prefeitura. Nos próximos dias, outros vereadores, se forem também espertos em interpretar o que pensa a população, certamente também pedirão para cair fora da placa, para não passarem vergonha.

A VOLTA DO NOTA LEGAL

No mês que vem, começa novamente um dos programas do governo Confúcio Moura que alcançou grande sucesso entre o público, porque distribuía prêmios aos consumidores: o projeto Nota Legal. O sistema volta a funcionar, embora não haja ainda decisão sobre se os prêmios voltarão ou não. O que já está decidido, segundo o secretario Luiz Fernando Pereira da Silva, é que parte do ICMS automaticamente recolhido na nota fiscal será encaminhada para entidades sociais à escolha do consumidor. E ele poderá usar o QR Code, do seu próprio celular, o que permite que, na hora, quem pedir a nota possa enviar os dados para que a entidade que selecionou, receba o valor relacionado com a parte do incentivo do ICMS a que o consumidor terá direito. Várias outras inovações estão sendo estudadas pela Secretaria de Finanças do Estado, na batalha para incentivar o comprador a exigir sua nota fiscal, quando fazer suas compras, seja onde for. Entidades assistenciais registradas certamente serão as grandes beneficiadas, nesse novo projeto do Governo, em relação à Nota Legal Rondoniense. O que ainda não se sabe é se voltará a haver sorteio de prêmios para quem registrar suas notas. Esse quesito, que na verdade é o que mais envolve o público, teria um custo muito alto e há grande complexidade para coloca-lo em execução, Por isso, está sendo analisado muito mais profundamente, antes da decisão final. Mas que o programa volta em agosto, já está decidido.

GARRINCHA DIRIA: “COMBINAMOS COM OS RUSSOS?”

O grande evento da sexta-feira será, sem dúvida, a audiência pública, programada para ocorrer pela manhã, na Assembleia Legislativa, em que se discutirá os percentuais do reajuste da energia elétrica, de até 27,5 por cento, nas contas pagas pelo rondoniense. Já estão confirmadas as presenças de dirigentes das principais entidades produtivas do Estado, assim como de consumidores, no encontro convocado pela deputada federal Mariana Carvalho, com apoio da Comissão de Energia da Câmara e com apoio de entidades e instituições de defesa do consumidor, representados, entre outras autoridades, pelo advogado Gabriel Tomasete, um dos principais líderes desse setor no Estado.  A intenção da audiência é clara: buscar apoios de todos os lados para, através de um decreto legislativo, revogar o reajuste que está valendo desde meados deste ano. A quinta-feira foi de mobilização de Mariana e seus aliados, chamando autoridades, imprensa, representantes de várias instituições, para que participem do evento. Dois aliados de Mariana na Capital, os prefeito Hildon Chaves e o presidente municipal do PSDB, o empresário  Lindomar  do Sanduba´s, gravaram mensagens nas rádios sociais e enviaram dezenas de mensagens, chamando para a audiência. O que resta saber é se, em relação à derrubada do aumento, se combinou alguma coisa com os russos, como diria o craque Garrincha. A Aneel, que decide sobre nossas pornográficas contas de luz, estará representada no encontro desta sexta?

PONTE: MINISTRO COMEMORA

O texto está publicado no Twitter oficial do Dnit. Diz: “boas notícias O Dnit concluiu hoje (3) a concretagem do último segmento de aduela em balanço sucessivo na ponte de Abunã, na BR 364, em Rondônia. Esta é uma importante obra para o governo federal. Foi elencada como uma das prioridades para o ministro”. O texto está assinado por ninguém menos do que o ministro da Infraestrutura do governo Bolsonaro, Tarcísio Gomes de Freitas. Anexado ao texto, um vídeo mostrando todo o trabalho de finalização da concretagem da obra, a extensão da ponte, totalmente concluída e imagens do Rio Madeira, na Ponta do Abunã. Faltam agora apenas os acessos, para que a obra, cujo custo final pode chegar a cerca de 150 milhões de reais, aí incluindo todo o novo projeto das rampas de acesso, que teve que ser refeito, em função da autorização para que subisse o nível do rio Madeira. Se forem garantidos os recursos necessários para os cerca de 5 por cento da obra que ainda faltam para que as cabeceiras sejam concluídos, a ponte poderá ser aberta ao tráfego ainda  no final de agosto ou meados de setembro próximo. O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Tarcísio Freitas, entre outras autoridades, já confirmaram que estarão presentes à inauguração.

SOB O DOMÍNIO DA ESCURIDÃO

Lamentavelmente, a outra ponte sobre o rio Madeira, no bairro da Balsa, está aberta há quase cinco anos, mas até hoje não foi totalmente concluída. Isso mesmo. Em 15 de setembro próximo, daqui a exatos 72 dias, quando completará seu quinto aniversário, como uma das maiores e mais importantes obras públicas já realizadas no Estado, a ponte, que custou 200 milhões de reais, vai passar a noite exatamente da mesma forma como passou até agora: totalmente no escuro. Por incrível que pareça, mesmo com tudo o que custou todo o pacote da ponte, o projeto de iluminação nunca foi feito e muito menos foram destinados recursos orçamentários, para a execução do trabalho. A Fecomércio, através de recursos próprios, doou um projeto completo para a iluminação da ponte, há pelo menos três anos. Custo zero para os cofres públicos. Nem assim o assunto andou. E lá está, sempre às escuras, perigosa para quem a atravessa à noite, principalmente transeuntes e ciclistas, vários já assaltados, a famosa ponte da BR-319, sobre o Rio Madeira. Ela teve sua construção iniciada em maio de 2010, foi oficialmente inaugurada na manhã do dia 15 de setembro de 2014.  Tem 975 metros de extensão, 12 metros de largura, 35 metros de altura e…nenhuma lâmpada!

VAI FALTAR CADEIA PARA TANTOS CANALHAS!

Mais um caso vergonhoso, que coloca os brasileiros do bem na condição de indignados. Um dos reis da corrupção no país, o ex-governador do Rio de Janeiro  Sérgio Cabral, confirmou o que muitas investigações já apontavam: foram comprados votos de representantes de países, para que o Rio de Janeiro sediasse a Olimpíada de 2016. Foram investidos nada menos de 2 milhões de dólares, corrompendo representantes de países com direito a voto no comitê olÍmpico. O então presidente Lula foi informado sobre a vergonhosa ação pelo próprio Sérgio Cabral. Não participou da compra de votos, mas sabia e fez de conta que nada estava errado. Mais uma canalhice. O então prefeito do Rio, Eduardo Paes, que se diz o politico mais honesto do Planeta, também sabia. Beneficiado com a Olimpíada para seus projetos políticos, fez também como Pilatos: lavou as mãos. Participou do crime por omissão. Também sabia (sempre destacando-se que as denúncias são da delação de Sérgio Cabral), o até então intocável presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Artur Nuzman. Vai faltar cadeia para tanto criminoso nesse país, quase destruído por toda essa gentalha que nos governou durante tanto tempo. Que a Justiça faça seu verdadeiro papel e nos livre, por anos e anos, desse lado putrefato da nossa politica!

PERGUNTINHAS

O texto final do relator, sobre a Reforma da Previdência, aprovado em comissão da Câmara Federal, nesta quarta, não ficou cheio de emendas e remendos? Não corre o risco de se tornar apenas um Puxadinho, como a pífia Reforma Trabalhista?