ARIQUEMES – O dia das mães chegou mais cedo na Unidade da Fundação Estadual de Atendimento Socioeducativo (Fease) em Ariquemes. Nesta quinta-feira(2) os socioeducandos que participam do projeto “Corte Certo” puderam homenagear suas mães com um dia de beleza no período da manhã e à tarde participaram, juntamente com suas respectivas mães, de uma palestra cuja temática era o perdão, o amor e, sobretudo, a esperança, ministrado por Luiza de Oliveira Rocha, palestrante motivacional.

Mãe de socioeducando recebendo tratamento de hidratação profunda

Na oportunidade os adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa promoveram um dia de beleza com direito a hidratação, cortes e penteados, além de um momento para externarem o carinho por suas mães. Para o adolescente R.V.P o curso tem sido muito proveitoso, “é uma pena porque o curso está acabando, eu tenho aprendido muito e hoje eu pude cuidar da minha mãe”.

“Eu , como mãe, estou muito feliz. Não só porque eu estou mais próxima do meu filho, vendo-o participando, mas porque desta vez eu posso ver que ele mudou muito. Ele está progredindo com este curso, e será um grande homem”, declara a mãe do socioeducando R.V.P.

O projeto “Corte Certo” teve início em fevereiro e tem previsão de encerramento neste mês de maio. O curso tem a finalidade de capacitar os adolescentes para atuarem como profissionais. A ideia do projeto nasceu do anseio da equipe da unidade por atividades que pudessem auxiliar os socioeducandos no processo de profissionalização, e ressocialização.

“Foi impressionante ver a alegria nos rostos dos adolescentes e de suas mães, o aconchego entre filhos e mães foi simplesmente maravilhoso,” disse Gizelle Lopes Santana, socioeducadora.

Emoção foi o sentimento que permeou o término da comemoração. O evento promoveu uma interação maior entre mães, adolescentes e servidores da unidade, além do fortalecimento dos vínculos afetivos. O que causou grande comoção foi a participação de todas as mães convidadas e, durante a programação, a participação incondicional dos socioeducandos com ações e palavras, pois não mediram esforços para evidenciarem a importância de suas mães.