Leo Ladeia

FRASE DO DIA:

“Graças a Deus, estamos encerrando a greve dos caminhoneiros por meio de uma atitude minha que tem sido criticada, o diálogo”. – Temer, o divino, em momento de iluminação pura.

1-Caixa-preta do PTB

 

 

 

 

 

 

 

A “República Sindical Brasileira” opera o novo milagre da multiplicação. São 16.491 sindicatos, sendo 5.251 de empregadores e 11.240 de empregados. Para existir, cada sindicato precisa ter uma “Carta Sindical” que habilita o sindicato a representar, negociar e arrecadar. Mais cartas, mais sindicatos, mais força na central e claro, no PTB. Foi aí que a justiça viu que na liberação das cartas pelo Ministério do Trabalho tem deputado, dirigente, pelego, só não tem tonto e santo.  Grana sem controle é caminho para patifaria e patifaria é certeza de “bacu” da PF e xilindró.

2-Por falar em xilindró… 

Um rolo que pelo jeito vinha funcionando há muito tempo acaba de ser descoberto e para variar, os ladrões pilharam verbas de educação. Crianças ribeirinhas eram transportados em voadeiras e a Prefeitura pagava preço de cruzeiro marítimo. Sem controle na licitação o rombo só é visto depois. Aí o rolo é descoberto, gente presa, cai o secretário, entra outro e aliás, tem outros caros e ineficientes que já podiam ter ido pra casa, mas o prejuízo para as crianças não tem conserto.

3-Aliás…

Enquanto a gente se debruça sobre o que ocorre na sala de aula para entender porque o ensino no Brasil é deficiente, uma série de penduricalhos financeiros como a manutenção de conselhos inoperantes, merenda escolar, transporte, programas “modernosos” que pouco ou nada agregam ao ensino, passagens, diárias e estadias para cursos, encontros e seminários abordando temas que mal tangenciam a educação, são retirados do “quantum” originalmente destinado ao ensino dos alunos. Como acabar com a praga? Não sei. O buraco não é único e é bem mais embaixo…

4-Boteco fechado

Um morto durante a greve aqui em Rondônia e um atropelado depois dela. O caminhoneiro José Batistella, de Jaru, 70 anos, foi morto com uma pedrada, por alguém intolerante e cheio de ódio que insistia em manter o movimento paredista, mesmo após acordos firmados e desmobilização em curso. O presidente da Petrobrás Pedro Parente foi atropelado pelos fatos e pela tentativa de reduzir o preço do óleo diesel, contrariando a política vitoriosa de preços adotada pela empresa. Imaginar que alguém poderia banca-lo é sandice. Aliás com Guardia, Marun e Temer o Brasil só tem que por a placa “fechado para balanço”, passar o cadeado e reabrir em 2019. Jaóera!

5-Atropelado por uma carreta

Trecho da carta de demissão de Pedro Parente a Michel Temer. Para o bom entendedor, risco é tratado, borrão é dicionário e pingo é letra. 

“…Vossa Excelência tem sido impecável na visão de gestão profissional da Petrobras. Permita-me, Sr. Presidente, registrar a minha sugestão de que, para continuar com essa histórica contribuição para a empresa — que foi nesse período gerida sem qualquer interferência política – Vossa Excelência se apoie nas regras corporativas, que tanto foram aperfeiçoadas nesses dois anos, e na contribuição do Conselho de Administração para a escolha do novo presidente da Petrobras.” Nada existe de positivo quando o governo é ilegítimo, fraco ou frouxo.

leoladeia@hotmail.com