A Corregedoria-Geral da Justiça de Rondônia (CGJ-RO) testou o sistema que será utilizado no projeto Recompor, voltado para preservar a memória dos processos de adoção para que crianças e adolescentes adotados tenham o direito de saber sobre suas origens, caso tenham desejo de conhecer. Os testes foram feitos na tarde de segunda (15) entre os membros da Comissão Estadual Judiciária de Adoção (Ceja), a qual o corregedor-geral, José Jorge Ribeiro da Luz, é presidente.

O Recompor é um projeto da Corregedoria para garantir direito de informação aos envolvidos

O sistema será entregue dia 13, com previsão de lançamento para o dia 30. Neste momento, a fase é de importar os processos referentes à adoção para dentro do sistema.

Projeto Ninho

O “Ninho”, outro projeto encaminhado pela Ceja, também foi discutido na tarde de segunda (15). A iniciativa, que pretende humanizar depoimentos de crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, de forma a coletar a oitiva apenas uma vez para evitar mais danos, está com os trabalhos avançados.