O deputado estadual Ismael Crispin (PSB) apresentou requerimento à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, durante sessão ordinária, essa semana, onde pede homenagem com Voto de Louvor aos servidores do Instituto Médico Legal (IML) de Rondônia, pelos trabalhos desenvolvidos.

O parlamentar destaca que o IML é uma instituição que tem a função de manter a ordem pública, garantindo o bem-estar da sociedade de maneira geral. É responsável pela avaliação de casos de pessoas que foram violentadas ou decorrentes de morte e tem como o objetivo assegurar o cuidado singular, encontrando as causas de tais violências a fim de buscar pela justiça e assegurar a integridade do ser humano.

Crispin relata também que o trabalho dos profissionais do IML ainda é pouco conhecido e valorizado pela sociedade. “O que, por vezes os coloca como meros atores em um cenário do qual na realidade são protagonistas”, frisa.

O parlamentar pontua o descaso do Estado em relação ao instituto, pois, como não há investimentos que supram as reais necessidades, a atividade dos profissionais está cada vez mais comprometida. “Essas dificuldades sentidas pelos trabalhadores aceleram seu desgaste físico e mental, nesse cotidiano do IML, transformando o trabalho em fonte de fadiga e angústia” explica o deputado, que também ressalta que a sociedade precisa ser mais bem atendida e tomar conhecimento de que o IML não é sinônimo de “morte”, mas sim de “justiça”.

Entre as áreas técnicas no IML estão a Clínica Médico-Legal que oferece serviços de realização de exames de conjugação carnal, ato libidinoso, entre outros. Também são desenvolvidos pelo Instituto trabalhos necessários como complementação aos demais serviços, como a identificação do cadáver, radiologia para a localização de projéteis/objetos e mais.

Ismael reconhece que trabalhar com morte e com a violência é sinônimo de desafio diário e de vivencias que demarcam a vida dos colaboradores. “Lidar com pessoas em momentos de intensa angústia, de tristeza, de sentimentos de perdas, e por vezes, comoção e abalo, requer profissionais preparados e que saibam lidar com as situações, sem deixar que eles despertem a sensação de incapacidade ou de recuo diante dos fatos” defendeu Ismael Crispin.

 

 

Foto: Marcos Figueira-Decom-ALE-RO