A segurança de condutores e de veículos, inclusive de duas rodas, é essencial para evitar acidentes. Se não for feita corretamente, a substituição da borracha desgastada da banda de rodagem para aumentar a vida útil do pneu, pode ser um grande risco a motoristas e passageiros.

A conformidade dos veículos é necessária para evitar acidentes

O Instituto de Pesos e Medidas de Rondônia (Ipem-RO) foi ao interior depois de receber diversas denúncias a respeito da qualidade de pneus em uso nas rodovias estaduais e na BR-364.

No item instrumentos, a equipe inspecionou balanças bombas de combustíveis e taxímetros, totalizando 2.471 visitas, informou o diretor técnico Kleber Kendy Ihida. Avaliação e conformidade resultou 68.541 produtos fiscalizados, dos quais 6.299 foram apreendidos, 49 interditados e 4 coletados, entre os quais, tecidos sem os percentuais de correspondentes à qualidade e ao selo do Inmetro.

No item pesos e medidas, os técnicos fizeram 490 exames de produtos, dos quais, 131 da cesta básica em mercados e supermercados.

Na repactuação dos serviços com vistas à redução de custos sem a perda de investimentos essenciais, o Ipem avançou. Seu diretor-presidente, Aziz Rahal visitou todo o estado de Rondônia e buscou parcerias e experiências nos institutos similares em Minas Gerais e Rio de Janeiro.

No período de 1º de janeiro a 10 de abril, o Ipem-RO participou das metas de trabalho dos cem primeiros dias de governo, atuando em todo o estado, notadamente nas divisas com os estados do Amazonas e Mato Grosso.

“Fomos também a Contagem (região metropolitana de Belo Horizonte); os mineiros têm problemas semelhantes aos nossos”, disse hoje (24) o presidente do instituto, Azis Rahal.

Em Minas funciona o projeto de benchmark, que possibilitará a primeira troca de conhecimentos e a facilitação da fiscalização em Rondônia. Em computação, benchmark é o ato de executar um programa de computador, um conjunto de programas ou outras operações, a fim de avaliar o desempenho relativo de um objeto, normalmente executando uma série de testes padrões e ensaios nele.

“Estamos trazendo o que de melhor existe lá, porque eles (Ipem-MG) estão em estágio mais avançado, o que nos auxilia a fazer melhor”, comentou Rahal.

Rahal (à esquerda) visita a sede do IPEM-MG em Contagem

O Ipem-RO tem atualmente 52 servidores técnicos e administrativos. Nos primeiros cem dias do governo do coronel Marcos Rocha, o órgão marcou presença na região conhecida por Cone Sul do estado, que reivindicava fiscalização mais frequente, notadamente em empresas de recauchutagem de pneus. Na ida ao sul, a equipe também visitou Rolim de Moura, na Zona da Mata, com a mesma finalidade.

Em Machadinho d’Oeste (divisa de Rondônia com Amazonas e Mato Grosso), Vale do Anari (com Mato Grosso) a equipe recebeu queixas de consumidores referentes à qualidade de pneus.

Em Ariquemes, Cacoal, Jaru, Ji-Paraná, Porto Velho e Vilhena, o Ipem visitou postos de selagem de cronotacógrafos, verificando a demanda de serviços que são terceirizados. Rahal disse que o instituto está na expectativa da uniformização de métodos e padronização de serviços entre os institutos de todos os estados brasileiros, algo tratado no encontro do Rio de Janeiro com a presidente do Inmetro, Ângela Flores Furtado.

CUIDADOS ESSENCIAIS E RISCOS

► A troca dos pneus é um dos principais gastos referentes à manutenção de um carro. Motoristas sujeitam-se a correr riscos em busca da economia, quando não encontram serviços à altura.
► A recauchutagem utiliza a carcaça de um pneu em bom estado para recuperá-lo antes de uma troca definitiva por um novo. Para isso, as bandas de rodagem e a carcaça são cobertas com uma camada de camelback (borracha não vulcanizada). Depois, o pneu é colocado em um molde e aquecido a 150 Cº, obtendo uma nova forma, pronta para rodar.
► O principal risco é quando a empresa contratada para o serviço utiliza uma carcaça em mau estado para inserir uma nova borracha.
► Entre os indícios da má qualidade, estão: bolhas, ondulações e bandagem solta, pontos que influenciam negativamente na segurança.
► Serviço malfeito pode resultar em possíveis explosões, quando utilizados por longo período de tempo, numa viagem, por exemplo.
 Em comparação aos pneus novos, os recauchutados têm durabilidade bem menor: 50% do tempo de uso. Ou seja, enquanto um pneu novo roda, em média, 60 mil quilômetros, um recauchutado terá que ser substituído quando alcançar a metade dessa quilometragem.

DENUNCIE IRREGULARIDADES
0800 647 2777