PORTO VELHO – Considerada a maior produtora de inhame do Estado de Rondônia, a região do Vale do Guaporé conquista novos mercados para exportação da produção local. A visita realizada à região pela empresa exportadora Atlântica Comércio de Grãos, sediada no Estado do Espírito Santo, trouxe grandes perspectivas para o comércio direto com outros países e a certeza de que investir na cultura é um bom negócio para a economia local.

A Atlântica Comércio de Grãos, representada por Frederico Camargo, é responsável pela exportação de produtos brasileiros para os Estados Unidos.

Com a parceria viabilizada pela Empresa Estadual Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RO), a cultura do inhame será comercializada diretamente pela empresa.

Representante da Atlântica visita área de produção, acompanhado de técnicos da Emater

“Hoje, a produção vem sendo absorvida por Ji-Paraná e Cacoal, e parte de sua comercialização é destinada ao Nordeste brasileiro, de lá, outra exportadora negocia o produto com a Holanda e o Paquistão. Com a exportadora Atlântica Comércio de Grãos, a compra será feita diretamente em nossa região”, explicou Luciano Brandão, gerente da Emater-RO no Território do Vale do Guaporé.

A região do Vale do Guaporé, localizada basicamente às margens da BR-429, conta com 340 produtores de inhame nos municípios de Alvorada do Oeste, Seringueiras, São Miguel do Guaporé e São Francisco do Guaporé.

Juntos, em uma área totalizando 562,4 hectares, eles produzem em média 12.026,15 toneladas de inhame/ano, proporcionando renda de R$ 26.313.515, segundo dados obtidos na safra de 2016 fornecidos pela Emater-RO.

Segundo Luciano Brandão, a Emater-RO tem trabalhado com o objetivo de consolidar e fortalecer a cultura do inhame no estado. E com a abertura de novos mercados e a crescente demanda para consumo do inhame, os agricultores estão investindo cada vez mais na produção e na qualidade do produto.

“Isso é muito importante, porque nosso produto está conquistando novos espaços no mercado”, salientou

Acompanhado pelos extensionistas da Emater-RO, o representante da exportadora, Frederico Camargo, visitou várias propriedades produtoras de inhame e disse que gostou do que viu.

“É um grupo considerado de produtores que recebem assistência, e nota-se a satisfação dos produtores com excelentes lavouras bem conduzidas”, ponderou, acrescentando que o objetivo é estreitar o relacionamento com as associações que representam esses produtores para comprar o produto e atender aos clientes na América do Norte.

A Atlântica já sinalizou com a demanda de 27 toneladas, a cada dez dias, quantidade esta que representa 10% da produção de inhame da região.

Serão três contêineres ao mês, durante o ano inteiro. “Agora estamos trabalhando para nos adequarmos a esta necessidade e ver a melhor forma de ter o produto à disposição durante o ano todo”, ressaltou Luciano Brandão.