Gerora de imbora, ela apareceu.
Já era hora de ir embora, ela veio.

A comida tá pouquinha pra distribuir pra um horror de gente.
Para muita gente.

Ele num tem hora pra o dotô.
Não tem hora para ir ao médico.

Hojerudia pra entregar o prêmio do Ambrósio.
Hoje era o dia.

Onde ele trabalha agora? – No hostal.
No hospital.

Tô cum pai aqui no banco pra resolver um horror de coisa
Estou com o pai aqui no banco para resolver diversos assuntos.

Parte do meu futuro livro Ao meo Dia, no qual descrevo o jeito nortista e nordestino de falar no Distrito Federal e em Porto Velho. Anotei frases em minhas viagens de ônibus, metrô, nas ruas a pé, e na convivência com funcionários do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, onde trabalhei. Modificações ocorridas com o uso de cacófatos, fonemas, pleonasmos, verbos conjugados pela metade ou misturados.