A proposta de Reforma da Previdência do Governo Federal sofreu novamente duras críticas do deputado estadual Anderson Pereira (Pros), que usou a tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão plenária de terça-feira (14), para afirmar que o Governo está rasgando a Constituição na cara do trabalhador.

“Essa reforma, aprovando do jeito que está, vamos pagar algo que não vamos usufruir. Isso não é respeito”, rechaçou o parlamentar.

Anderson afirmou que existem muitos pontos dúbios que vão prejudicar os trabalhadores, citando a falta de regras para a aposentadoria especial dos profissionais de segurança pública. “Lá (na proposta) não tem nada para os trabalhadores que laboram em locais insalubres ou com alto nível de periculosidade e stress. Se aprovar assim, haverá um prejuízo para esses profissionais”, alertou o deputado.

Em relação ao déficit previdenciário, que ultrapassa os R$ 195 bilhões, Anderson Pereira asseverou que o Governo está tentando imputar ao trabalhador uma dívida que não é dele. “Foram os bancos que não pagaram suas fatias, as grandes empresas que também não repassaram o valor correspondente cobrado dos trabalhadores e o próprio governo federal que fez aportes para investir em obras. Sem dizer também que isso ocorreu em nosso estado, onde o Executivo não fez os devidos repasses ao Iperon”, sustentou ao dizer que não vê o governo federal cobrando desses grandes devedores ou metendo a mão no bolso para devolver os valores à previdência.

Com o apoio do Parlamento, Anderson garantiu que buscará apoio da bancada federal para atuar junto à Comissão Especial que analisa a reforma da previdência, no sentido de viabilizar as emendas necessárias no projeto para amenizar esse prejuízo ao trabalhador.

 

 

 

 

Foto: Assessoria