PORTO VELHO – O trabalho desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) de Porto Velho, durante enchente do Rio Madeira, em 2014, através do Departamento de Vigilância em Saúde, foi apresentado em Brasília no ‘90 Seminário Nacional sobre Saúde em Desastres’, que aconteceu de 7 a 9 de novembro deste ano.

A experiência ‘Enchente no Rio Madeira: um Problema de Saúde Pública’ foi compartilhada devido o resultado que obteve ao minimizar os impactos na saúde pública, possível porque houve uma resposta rápida da Semusa ao problema.

Para enfrentar a enchente e dar cobertura a todas as comunidades ao longo do rio, a secretaria estruturou a ‘sala de situação’ e elaborou um plano de contingência, observando quatro eixos: educação em saúde e mobilização comunitária, vigilância em saúde, atenção primária e assistência à saúde. A ‘sala de situação’ funcionou durante 90 dias, 24 horas por dia, com diversas ações estabelecidas.

“A proposta do seminário é promover a troca de experiências exitosas. A Semusa pôde contribuir com uma experiência que pode ser aproveitada por outros locais, em todo o país”, ressaltou a titular da pasta, Eliana Pasini, que participou do evento. A elaboração do trabalho contou com as servidoras: Régia Martins, Daniele Souza, Itaci Ferreira, Márcia Maria Alves e Deuseli Pereira.

“Como aprendizado, podemos dizer que o trabalho conjunto de todos os técnicos foi essencial para que os problemas advindos com a enchente fossem minimizados, tanto que o aprendizado tem sido colocado em prática em outros eventos”, frisou a diretora da vigilância em saúde, Régia Pacheco, que apresentou o trabalho durante o seminário.