OPINIÃO DE PRIMEIRA – Tem cachorro quente de vários tipos. Lanches. Água de côco. Água mineral. Balões, bolas, bicicletas para alugar. Pedalinhos. Triciclos. Tem brinquedos de vários tipos, alguns enormes, que são uma atração especial para crianças. Tem, de vez em quando, alguém cortando cabelo. Tem melancia e vários tipos de frutas. Tem pequenos restaurantes ao ar livre, com suas cadeiras brancas. Ah! Tem até venda de material escolar, já que em breve as aulas recomeçam. Há tudo isso e muito mais. Exatamente. No último final de semana, por exemplo, tinha isso também. O resumo é do mercado persa em que se transformou o Espaço Alternativo em Porto Velho, onde, em alguns pontos, é praticamente impossível se caminhar, correr ou fazer exercícios físicos. Grande parte está tomada por um comércio onde há de tudo um pouco, como se ali fosse um pequeno centro comercial e não um local de lazer. Claro que é importante que haja espaço para ambulantes, nesses locais. Não se pode tirar o direito de ninguém de trabalhar, ainda mais no momento em que o emprego formal é raro. Mas, vamos devagar! Tem que haver um mínimo de controle. O problema é a esculhambação descontrolada, onde cada um toma conta do seu pedaço e ai de quem reclamar! Virou a Casa da Mãe Joana, porque não há controle, não há fiscalização e ninguém manda.

Mas tem coisa pior: donos de cães os levam para passar, mas também para fazer cocô onde milhares de pessoas estão andando ou correndo. No domingo, um casal cara-de-pau com um Dobermann (esses cães não são proibidos em locais públicos?), simplesmente assistia o animal fazer suas necessidades e ia embora, sem recolher a sujeira. Os outros que se danem, certamente pensa a dupla, ela que sintetiza, infelizmente, o que faz muita gente mal-educada e desrespeitosa, nessa cidade suja e largada, por grande parte da sua população. Há ambulantes que jogam azeite quente na grama. Um dos casos denunciados acabou na internet, com a foto mostrando um pedaço do gramado destruído. Tem mais. Já foram descobertos pedaços de madeira arrancados dos bancos, nos quiosques e locais de descanso, para que os malucos que usam o Espaço nas madrugadas, para festas regadas a bebida e drogas, façam churrasco. Uma pena que tenha gente tratando um patrimônio dessa qualidade, tão importante para toda a comunidade, como se não tivesse o imenso valor que tem. É lamentável que isso esteja ocorrendo no Espaço Alternativo, um local nobre, bonito, bem construído, mas que não tem qualquer controle ou fiscalização. Uma vergonha!

ASSEMBLEIA, O ÚNICO ASSUNTO

Não há como fugir do tema: a sucessão na Assembleia Legislativa continua sendo o grande assunto da política. Não há outro mais importante, nesse momento. Os dois lados que batalham pela Presidência e pela Mesa Diretora – um representante da ala governista, outra, composta principalmente por opositores – trabalham arduamente. Cada um usando suas estratégias, para chegaram no dia 1º de fevereiro com o número de votos que lhe possa dar a vitória. Se a eleição fosse até o final da semana passada, se poderia dizer, com segurança, que a vitória da oposição estaria consolidada. Nos últimos dias, contudo, a ala palaciana entrou de corpo e alma na disputa e pelos lados do Palácio Rio Madeira/CPA, já há sinais de otimismo, coisa que não havia até há pouco tempo. Claro que tudo o que está posto até agora pode mudar até o 1ª de fevereiro, inclusive uma união das chapas que estão postas. O deputado José Lebrão pode voltar ao jogo. Não há hipótese que possa ser ignorada. O que se espera, é claro, que a eleição seja justa e as conversações as mais republicanas que se possa imaginar. E que, antes de tudo, seja colocada como a grande prioridade, os interesses maiores do Estado.

TRÊS VOTOS QUE PODEM DECIDIR

Nos bastidores, a busca de apoios de um e outro lado continua. Há pelo menos três votos importantes, que os dois lados estão disputando e que poderão começar a definir o quadro para um ou outro grupo, quando anunciaram suas decisões. Um deles é o deputado Adelino Follador, do DEM, que retorna de férias do interior do Rio Grande do Sul exatamente nesta terça. O representante da região de Ariquemes, reeleito, ainda não abriu seu voto. Vai decidir nos próximos dias, conforme informou à coluna. Outro é Edson Martins, do MDB, um dos deputados mais respeitados no parlamento rondoniense. Ficará ao lado do governo ou estará com o grupo contrário?  Ele disse ontem que ainda não se decidiu, até porque não sabe, oficialmente, quem são os candidatos. Quando souber, se decidirá. Os dois lados contam com ele. A terceira é Rosângela Donadon, do PDT de Vilhena, que já foi anunciada como apoiadora da turma Redano-Laerte-Jean e vários outros parlamentares, mas, também, teria aberto diálogo para apoiar Eyder Brasil e os governistas.  Há ainda algumas dúvidas sobre um ou outro nome. A cada dia, o quadro ainda pode mudar.

PMS VOLTAM AOS QUARTÉIS

Não se pode dizer que as coisas não estão mudando no contexto da administração estadual. Estão sim, embora os poucos dias do novo governo. Algumas canetadas do governador Marcos Rocha têm mudado situações de anos, senão décadas. Uma delas aconteceu nesta última sexta-feira, dia 11, quando ele revogou diversos decretos de cedência de PMs para órgãos públicos e determinou a volta deles aos seus respectivos postos na força policial rondoniense. Todos os policiais que não estão em função diretamente ligadas à sua atividade, ou seja, atuando na área de segurança, vão voltar para o policiamento. Grande número de PMs que estavam cedidos à órgãos como Prefeituras Municipais, a maioria em Porto Velho; à Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Ministério Público e outros organismos oficiais, vão voltar às origens e aos quartéis, para reforçar o serviço de policiamento. A cedência de policiais para atuar em outras funções é uma tradição. Quem não sabe da presença de PMs à paisana, atuando em funções que nada tem a ver com segurança? O decreto do Governador quer mudar essa. Outros tentaram, mas nunca conseguiram. Será que dessa vez vai funcionar?

SESAU CRIA SOS JOÃO PAULO II

SOS João Paulo II. Essa é uma estratégia que já está em andamento, criada pelo dr. Fernando Máximo e toda a sua equipe da Sesau, para tentar ao menos amenizar, a curtíssimo prazo, a grave crise que afeta o pronto socorro da Capital, sempre superlotado. Num governo que começou há uma semana e meia, a equipe de Máximo já tem pequenos, mas importantes avanços para comemorar. Trabalhando direto, de domingo a domingo (por vezes até mais de 21 horas, porque as reuniões vão noite adentro), o novo time que comanda a saúde pública do Estado tem se reunido com equipes do interior, pedindo apoio para que os pacientes só sejam mandados para o João Paulo em caso de extrema necessidade. A meta é que, quando o governo Marcos Rocha chegar aos seus 100 primeiros dias, a situação do JP II esteja ao menos muito menos ruim do que está hoje. Uma das prioridades é fechar aquelas áreas onde doentes ficam expostos ao sol e a chuva. A hiper superlotação também será combatida de todas as formas. E, mais que isso, se ampliará a batalha pelo início das obras do novo hospital de urgência e emergência da Capital, o Heuro. A luta recém começou, avisa Fernando Máximo.

QUE PAGUEM POR SEUS CRIMES

Os vagabundos que abrigam um assassino cruel e deram a ele asilo como se fosse um pobre perseguido político, calaram a boca. Pelo menos isso” Shut up! Boquinha fechada. Alguns ainda tentaram ironizar, dizendo que o governo da Bolívia tinha ignorado o governo de Jair Bolsonaro e entregue o criminoso diretamente ao governo italiano. Como se a preocupação de Bolsonaro fosse fazer propaganda com a prisão de um terrorista e não a apenas de vê-lo pagar por seus crimes! O que o Brasil precisa agora é levantar toda a verdadeira história dessa associação criminosa, que proporcionou a um matador cruel, que eliminou quatro pais de família com requintes de crueldade e ainda deixou uma pessoa aleijada para o resto de sua vida, vários anos de liberdade, no território nacional, como se aqui fossemos abrigo a esse tipo de bandido. No futuro, quando a História real for contada e não a inventada pelo petismo e seus líderes ladrões, nossas crianças vão saber o que essa gente fez contra nosso país, nossas instituições, nossas famílias, nosso Brasil.  Abrigar o terrorista Cesare Battisti foi apenas mais um dos crimes que eles cometeram contra nossa Pátria. Já foram tarde, todos eles. Os líderes bandidos e o terrorista bandido. Que paguem por seus crimes!

“RESPALDO DA JUSTIÇA”, ONDE?

Notícia importante nos sites nacionais dão conta que “com maior respaldo da Justiça e penalidades ainda mais severas, os casos de violência contra a mulher são notificados e enquadrados como feminicídio. As denúncias aumentaram em 30%, mas a quantidade de ocorrências é desesperadora. O Brasil tem acompanhado diversos casos de atentado a integridade e a vida da mulher; sempre causados por maridos/namorados ou ex-companheiros que não aceitam a separação. Em 2018, o Ligue 180, que recebe denúncias de agressões a mulheres, teve 92.323 ocorrências (em 2017 foram 73.699). Mas isso não quer dizer que os crimes diminuíram. Entre julho e dezembro de 2017 foram 24 assassinatos. O mesmo período em 2018 registrou 39. As tentativas de feminicídio saltaram de 2.749 para 4.180 (alta de 46%)”. Nos mesmos sites, pode-se ler que “Justiça nega prisão de agressor que atacou mulher a facadas e marteladas”. Noutra: “Justiça nega prisão de namorado a socos e pontapés”. E ainda: “Negada prisão de marido ciumento que tentou matar a ex”. Ué? Que respaldo da Justiça é esse, em que, na maioria dos casos, os canalhas entram por uma porta e saem pela outra, nas delegacias? Se isso for respaldo da Justiça, é melhor que não o tenha…

ROCHA EM BRASÍLIA, NESTA QUARTA

Há outros temas na agenda. Mas a nova viagem do governador Marcos Rocha a Brasília, em busca de apoio federal para projetos rondonienses, terá como um dos principais motes, agora, a agricultura e o agronegócio. Rocha vai acompanhado do secretário Evandro Padavoni. Na pauta, os problemas do agronegócio do Estado; a nova fase da carne rondoniense, que será considerada livre da febre aftosa sem vacinação, o que lhe dará um novo e importante status internacional e a Rondônia Rural Show farão parte das conversas no Ministério da Agricultura. O Governador deverá tratar ainda de outros temas, mas até a noite dessa segunda, os detalhes das reuniões agendadas a princípio para amanhã, quarta e quinta-feira, não haviam sido divulgadas. O que se ouviu pelos bastidores do Palácio Rio Madeira/CPA é que a situação da BR 364 e seus enormes perigos também será um dos assuntos a serem conversados, dessa vez no Ministério dos Transportes e no Ministério do Exército. A assessoria do Governador não confirmou os detalhes, nem a agenda, mas a viagem está sim programada, assim como os contatos na Capital Federal.

PERGUNTINHA

Você acha que o Brasil agiu certo em considerar Cesare Battisti como um criminoso e facilitar sua prisão e volta à Itália, para cumprir pena por quatro assassinatos ou considera que o correta era ele ficar no país, como refugiado político, como decidiu o ex presidente Lula?