OPINIÃO DE PRIMEIRA – Talvez a frase que melhor sintetiza o Brasil de hoje, que resume o que é realmente nosso País, que nos dá uma sensação de que, nela, estão explícitos todos os requisitos para demonstrar o que realmente nossas elites e nossos governantes fazem conosco, seja a proferida pelo banqueiro Eduardo Moreira, ex sócio do Banco Pactual. Disse ele, numa entrevista ao jornalista Augusto Nunes; “Se as pessoas soubessem como realmente funcionam as coisas no Brasil, os pobres e a classe média fariam uma revolução”! É imperdível a longa entrevista, onde o banqueiro diz frases sensacionais, como essa outra: “somos uma sociedade rasa, debatedora furiosa de manchetes de Facebook”. Ele comentou ainda que o dinheiro dos super ricos, da camada mais alta da sociedade, “é um dinheiro só de concentração de poder”. E ainda deixa claro que o sistema de tributação no país é um absurdo, punindo o trabalho e permitindo que os milionários paguem cada vez menos imposto de renda, por exemplo. Está lá, na entrevista: “alguém sabe o quanto os ultra ricos do Brasil pagam hoje, em média, de imposto de renda de pessoa física? Qual a alíquota? Seis ponto nove por cento. Isso mesmo! O Brasil é um paraíso fiscal para os milionários e bilionários”. O banqueiro não disse, mas deixou implícito: enquanto os ricaços são protegidos pela legislação tributária, quem vive do seu suor, os mais pobres e a classe média pagam até 27,5 por cento de Imposto de Renda. É esse o país que os poderosos prepararam para que só eles usufruíssem das benesses. No link https://www.youtube.com/watch?v=nlHuppcUPMA você pode saber o que se passa nos meandros dos poderosos, como eles se utilizam de mágicas (desviando a atenção do principal com ações diversionistas), para deixar a plebe rude eternamente como…plebe rude.

Eduardo Moreira é  economista, fundador da gestora de recursos Plural Capital e ex-sócio do Banco Pactual, sendo também conhecido pelo seu trabalho pelo fim do uso de métodos violentos no adestramento de cavalos. É um milionário que sabe sobre o que está falando A tal ponto que destaca, em sua entrevista, que quem é inteligente não deve guardar dinheiro em bancos, mas sim embaixo do colchão: “é muito mais negócio!”, afirmou. E sublinhou ainda que tudo é feito no país para proteger os ricos, milionários e bilionários. A reforma tributária que tanto se fala, segundo ele, quando sair (se sair, um dia), será apenas para beneficiar a casta que ajudou, com muito dinheiro, a eleger os políticos que vão votar as mudanças. Questiona: quem irá votar contra os interesses daqueles que o patrocinam em seus mandatos? Enfim, um banqueiro que fala contra os  banqueiros e contra o sistema bancário. Que deixa bem claro como nós, pobres e mortais, que não usufruímos das benesses do poder (sempre dedicadas aos que mais têm), ficamos discutindo abobrinhas e brigando pelo Facebook, enquanto eles dominam e tomam tudo o que deveria ser nosso. Além de tudo, um povo otário!

DIA DECISIVO NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

A pouco mais de 24 horas da escolha do novo presidente e da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, o clima de conversações se intensifica nos bastidores, enquanto da porta para fora dos gabinetes, parece que tudo está envolto numa enorme calmaria. Claro que os sinais nunca são seguros, mas ao menos até a noite dessa quarta, continuava se falando que há um grupo forte dominando a maioria dos votos e que pode ser composta uma chapa de consenso, para comandar o Parlamento rondoniense nos próximos dois anos. Os deputados, praticamente todos, estão fazendo o que mais gostam: conversando e tratando de política. A partir dessa sexta, começa a décima legislatura da Assembleia, com 13 parlamentares reeleitos e 11 novatos (embora nenhum seja neófito em questões políticas). Nomes que construíram uma longa e sólida carreira pelo voto, somam-se a caras novas, que querem buscar seu espaço e se tornarem personagens importantes na História do Estado, a partir de agora. Tudo começa pela eleição do novo presidente e seus companheiros de mesa Diretora. A sessão solene de abertura do ano Legislativo e da nova Legislatura, é nesta sexta, a partir das 14 horas, na casa de shows Talismã, na zona leste de Porto Velho. 

CORRIGINDO

Obviamente, que foi um erro na hora de digitar. A coluna, ao comentar a disputa pela presidência da Câmara Federal, escreveu que o principal candidato era Marco Maia. Errado, claro. Quem tem a preferência da maioria dos parlamentares é o carioca Rodrigo Maia, atual presidente da Casa. Nos sites Rondoniadinamica e Expressão Rondônia, ainda foi possível corrigir o erro, mas em outros sites onde a coluna é publicada, saiu a informação errada. Que agora corrigimos e pedimos desculpas aos leitores. 

SOBRINHO ABSOLVIDO: PELA ENÉSIMA VEZ

Pela enésima vez, o ex prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho, foi absolvido pela Justiça. Deve ficar complicado para os que o atacaram durante tanto tempo, inclusive com ofensas pelas redes sociais, ter que ficar, praticamente todos os meses, lendo notícias e que as acusações contra Sobrinho eram falsas, a tal ponto que a Justiça não aceitou praticamente nenhuma delas até hoje.  Desta feita, a decisão foi prolatada pelo juiz de Direito  Franklin Vieira dos Santos, da 3ª Vara Criminal de Porto Velho, em mais um caso de denúncia não comprovada contra Sobrinho, em relação a supostos desmandos na Emdur, quando ele era prefeito. Com o passar o tempo, vai se confirmando que Roberto Sobrinho foi vítima de uma das maiores injustiças já cometidas contra um homem público em Rondônia. Preso alguns dias antes de deixar o mandato, à época tinha mais de 70 por cento da aprovação do eleitorado da Capital, no final de quase oito anos de governo e, mais que isso, era nome quentíssimo para disputar o Governo. Sua prisão, até hoje considerada intempestiva, acabou com sua carreira política e jogou seu  nome na lama. Das dezenas de acusações contra ele, a quase totalidade jamais foi comprovada e algumas poucas ainda percorrem corredores do Judiciário. Todos os que acusaram Sobrinho continuam dormindo normalmente. Ele não consegue mais dormir nem ter uma vida, depois de tudo o que sofreu. Lamentável!

A POLÊMICA DAMARES VEM AÍ

A  Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, uma das figuras mais polêmicas do governo Bolsonaro, pode ser a primeira do time principal do novo governo a visitar Rondônia.   Advogada, pastora evangélica e educadora brasileira, coordenadora do projeto educacional do Programa Proteger, Damares aceitou o convite feito pelo governador Marcos Rocha, que a visitou na semana passada, para também pedir apoio a projetos sociais que serão desenvolvidos no Estado pela primeira dama, Luana Rocha, secretária de ação social. Embora seja tratada apenas como uma figura folclórica por parte da mídia e receba a ojeriza dos esquerdistas, que detestam o fato de Damares não viver sob o jugo do politicamente correto, como eles “exigem”,  ela vem se destacando na vida pública nacional, cuidando dos mais necessitados e liderando programas de proteção aos que estão desassistidos. Ao receber do Governador informações sobre alguns dos planos de Luana Rocha para a área social, que dependerão também de apoio federal, a ministra Damares os considerou de grande relevância e garantiu que virá ao Estado para discutir com a administração estadual e especialmente com a secretária de Ação Social, programas para beneficiar a população que vive sob risco. A visita será agendada para as próximas semanas.

LULA: O PERIGOSO PRECEDENTE

Houve bom senso na decisão do ministro Dias Tóffoli em autorizar o encontro do ex presidente Lula com seus familiares, após o sepultamento do irmão de Lula, Vavá, falecido nesta semana? Pode parecer que sim, porque no geral a autorização serve apenas para um encontro familiar, em unidade militar, sem acesso à imprensa, sem uso de celular ou sem qualquer outro tipo de ação que pudesse ter ligação com questões políticas. É uma decisão que dá um toque de humanidade à dura pena a que o ex-Chefe da Nação está condenado, em apenas um dos vários processos a que responde. Mais que isso, cumpre a lei penal, que em um dos seus artigos permite que o Judiciário, se assim achar correto, libere o preso para acompanhamento de velório e funeral de parente próximo. Mas há um grave problema nessa decisão: o precedente. Ora, se a lei atende a Lula, tem que atender à massa prisional. Por que um brasileiro teria o direito e todos os demais não o teriam? Esse é o perigo. A partir de agora, qualquer detento que esteja cumprindo pena, poderá pedir o benefício, já que há um claro precedente. Lula tem direito? Tem sim. Mas todos os demais 750 mil presidiários brasileiros também o tem. Vão poder utilizá-lo?

DIA EM QUE OS BANDIDOS PERDERAM

Pelo menos uma vez, eles saíram perdendo. Não foi o dia dos bandidos, que agem em turba em Porto Velho, nessa quarta–feira. Um deles decidiu assaltar a casa da mãe de um policial, no Jardim das Mangueiras. Acompanhado de outro bandido e de uma mulher, o criminoso, que andava pelas ruas assaltando e portando uma vistosa tornozeleira eletrônica, como tantos outros que saem da cadeia e continuam cometendo crimes, o bandido trocou tiros com o policial. Foi morto no tiroteio, mas antes baleou a mulher nas pernas. Seus comparsas fugiram, mas certamente serão logo identificados. Há suspeita que um segundo homem também usava tornozeleira. Em outros dois casos, os bandidões levaram uma surra, depois de detidos. Foram salvos pela ação da polícia. Um deles assaltava motoristas de aplicativos, o covarde. Outro, armado, andou atirando no meio da rua, mas errou e foi linchado por populares. Despoliciada, a cidade assiste à multiplicação de furtos, roubos, assaltos, violência doméstica. A população tem reagido, mesmo com todos os riscos. Os cabalas não respeitam a vida de ninguém e para matar não contam até três. Reagir nem sempre é o melhor caminho. Mas as vítimas não aguentam mais sofrerem caladas, diante de tantos bandidos, muitos deles usando tornozeleiras eletrônicas (aqui e em outras regiões do país) e continuando a praticar seus crimes. 

ÔNIBUS: CRISE CONTINUA

O caso dos ônibus em Porto Velho continua sem solução. Uma das empresas do Consórcio SIM vai manter o contrato, mas não se sabe se os trabalhadores aceitarão fazer novo acordo, para voltarem às suas atividades.  Está ainda tudo muito confuso, enquanto a população sofre sem transporte, numa crise que está chegando ao seu décimo dia. Além do povão, que é quem mais sofre, o comércio também começa a se desesperar. Lojas vazias nos centros comerciais demonstram que a situação já está afetando a economia da Capital. Na audiência desta quarta, na Justiça, a Prefeitura recebeu o prazo de 30 dias para lançar o novo edital para o sistema de transporte, que, na verdade, funcionava através de um contrato que nunca foi definitivo. Uma das empresas do Consórcio caiu fora, por não suportar mais um prejuízo mensal de mais de 2 milhões e 700 mil reais. Agora, além de tudo que está acontecendo, ainda uma onda de boatos torna pior a situação, incluindo a de que  uma nova empresa de São Paulo viria para assumir o sistema, sem a devida licitação. Tudo papo furado, mas, à essas alturas do campeonato, piora ainda mais o clima no setor, que já é terrível. A  quinta começa, de novo, sem ônibus circulando? Infelizmente, essa é uma possibilidade real.

PERGUNTINHA

O que você acha da maioria dos brasileiros pagarem  até 27,5 por cento de Imposto de Renda sobre seus ganhos, enquanto milionários e bilionários pagam, em média, apenas 6,9 por cento como Pessoa Física, conforme denúncia do banqueiro Eduardo Moreira?