PORTO VELHO – As denúncias relativas aos supostos abusos praticados em Rondônia pela agora Ceron/Energisa serão investigadas pelo Legislativo Estadual. A instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para apurar o caso, foi aprovada nesta última terça-feira (17), na Assembleia Legislativa de Rondônia, em atenção ao requerimento do deputado estadual Alex Redano (Republicanos).

Assembleia aprova CPI para investigar a Energisa em Rondônia; proposta foi do deputado Alex Redano (Foto)

Segundo a assessoria da Casa de Leis, a CPI, que terá cinco membros e duração de 90 dias (podendo ser prorrogada), recebeu apoio de 11 deputados. “Agora caberá ao presidente da Assembleia, Laerte Gomes (PSDB), fazer a instalação da CPI e, em seguida, os partidos indicarão os membros”, informou a assessoria.

De acordo com Alex Redano, nos últimos dias os deputados estaduais têm recebido inúmeras denúncias contra a Energisa, principalmente no que se refere a aferição da energia elétrica consumida, cortes de energia em finais de semana, o que, segundo o parlamentar, incorre contra legislação estadual. “Há ainda a troca de medidores sem prévio aviso”.

Cirone Deiró critica atuação do Grupo Energisa em Rondônia

“A Energisa submeteu os rondonienses a uma crise energética sem precedentes. Os prejuízos estão sendo contabilizados em todos os segmentos da economia”, disse o deputado Cirone Deiró (Podemos), presidente da Comissão de Agricultura, ao assinar o requerimento para a criação da (CPI).

O parlamentar disse que a medida é uma resposta às centenas de denúncias do setor produtivo, especialmente dos produtores de leite, aves, gado em confinamento e os agricultores que trabalham com irrigação.

O deputado apresentou o caso do produtor Edisson Caus, do município de Cacoal, que trabalha com granja de produção de ovos e perdeu apenas em uma tarde que a granja teve a interrupção de energia, 600 galinhas poedeiras.

Segundo parlamentar, os prejuízos são contabilizados também pelos produtores de leite que por oscilações ou interrupções na energia não conseguem funcionar o tanque de resfriamento.

Em discurso na plenária, na terça-feira, Deiró afirmou com veemência que a atuação do grupo Energisa vem causando sucessivos prejuízos à população do Estado. Em Cacoal, ainda de acordo com o deputado, a situação é crítica. “Quando não falta, há oscilação, provando que o fornecimento não é confiável,” disse o deputado, acrescentando que o atual modelo energético lembra a década de 1970 em Rondônia.

OUTRO LADO

Em nota, nesta quarta-feira (18) a assessoria da Ceron/Energisa afirmou que a empresa preza pela transparência e que está aberta a todo tipo de esclarecimento. Confira abaixo a íntegra da nota da Energisa:

Sempre prezando pela transparência e aberta a todo tipo de esclarecimento, a Energisa Rondônia reitera que seus processos operacionais são estruturados e seguros, com rastreamento dos equipamentos para controle de qualidade.

Os aparelhos de medição adquiridos chegam ao almoxarifado em embalagem lacrada, com número de série impresso pelo fabricante, e ao serem liberados para a instalação, o número de cada aparelho é vinculado ao CPF do eletricista escalado para fazer o serviço. No caso de solicitação do cliente, o medidor pode ser inspecionado, sendo retirado e encaminhado para verificação e aferição do Instituto de Peso e Medidas (Ipem), também em embalagem lacrada. Todo esse processo pode ser acompanhado pelo cliente.

Por prestar serviços e instalações de energia elétrica, concedidos pela União, a empresa cumpre a legislação brasileira vigente, seguindo normatização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), órgão federal.

A empresa coloca-se à disposição para prestar quaisquer informações sobre suas operações.

Importante contextualizar que, nos últimos anos, o investimento na rede elétrica e subestações em Rondônia foi aquém do necessário, e apenas em 2019, a Energisa Rondônia está investindo cerca de R$ 471 milhões para recuperar a qualidade da prestação de serviços aos clientes e para expandir o sistema elétrico.

Com 114 anos de atuação, o Grupo Energisa tem na ética e na transparência marcas de sua trajetória de contribuição para o desenvolvimento de todas as regiões do País.