CACOAL – No momento em que uma operação da Polícia Federal em conjunto com o Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União acaba de colocar na cadeia a cúpula do Dnit em Rondônia, acusada de superfaturamento em contratos para manutenção em trechos da BR-364, um empresário chama a atenção das autoridades para a contratação da empresa que fará a restauração da ponte em Riozinho, entre as cidades de Cacoal e Pimenta Bueno.

Empresário do ramo de pequena central hidrelétrica e proprietário de usina de calcário, com investimento em várias áreas, César Cassol afirma que levou um susto ao tomar conhecimento de que o Dnit orçou em aproximadamente 2 milhões de reais a recuperação da ponte. “Alerto as autoridades para passar um pente fino neste orçamento, porque, pela minha experiência, garanto que é muito dinheiro para fazer aquela restauração”.César lembra que quando a ponte apresentou problemas, ele foi um dos que liderou as equipes que fizeram o reparo que permitiu o tráfego – mesmo em uma só pista – até agora. Naquele momento não foi possível fazer um serviço melhor, porque o rio estava cheio e havia uma correnteza muito forte. “Fizemos o que foi possível, para amenizar o problema”, disse.

Agora, César voltar a se manifestar quanto à obra da ponte sobre o Riozinho, alertando que é uma vergonha se pretender gastar dois milhões coma recuperação da ponte de Riozinho.

De acordo com César Cassol, agora que o rio está seco, o serviço poderá ser realizado com maior segurança e muito mais economia. O que tem de ser feito, segundo ele, é fixar quatro pés direito de 22 polegadas de aço, em forma de trave de campo de futebol chumbado na rocha. “É uma operação simples, que anão exige tantos cálculos de engenharia. Acredito que para fazer a restauração da ponte em Riozinho não se gaste mais do que 200 mil reais”, calcula Cassol.

A manifestação do empresário vem a propósito do posicionamento do Dnit em resposta a cobrança da Associação das Federações Comerciais de Rondônia (Facer), preocupada com uma possível interdição total da BR-364 e suas consequências para a economia do estado.