OURO PRETO – Em outubro de 2017, o vereador Josimar Rabelo Cavalcante (PTB) denunciou o desvio de combustível na Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras (Seminfra) e acusou diretamente os servidores Fernando Brustolin (ex-titular da Secretaria de Infraestrutura e Obras – Seminfra), e os servidores Francismar Torres Santana e Leonildo Almeida Barros. Para apurar a denúncia, foi instalada uma comissão composta por três vereadores que iniciaram a investigação e acabaram descobrindo atos de improbidade administrativa praticada pelo vereador denunciante.

Com isso, o presidente da Câmara Municipal de Ouro Preto do Oeste, Josimar Rabelo Cavalcante (PTB) foi afastado da função na noite de segunda-feira (15). Sete vereadores votaram pela aceitação da denúncia que investiga improbidade administrativa, denunciação caluniosa e quebra de decoro parlamentar, no seu envolvimento na denúncia de desvio e venda de 100 litros de óleo diesel da garagem da Prefeitura.

O vereador foi afastado da função de presidente da Câmara enquanto o processo contra ele tramitar no Poder Legislativo. Eudes Venâncio assumiu a presidência enquanto durar o processo.

A denúncia com 13 páginas foi protocolada por Geovane Gabriel Ferreira, servidor público estadual lotado na residência do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RO), sob a alegação de que foi forjada a denúncia de desvio de 100 litros de óleo diesel, feita em outubro de 2017, pelo presidente da Câmara contra Rougeri Fernando Brustolin, ex-titular da Secretaria de Infraestrutura e Obras (Seminfra), e os servidores Francismar Torres Santana e Leonildo Almeida Barros.

Uma Comissão formada para investigar a denúncia tem o vereador Serginho Castilho (PRP) como presidente, Bruno Brustolin (PSDC) relator e Delísio Fernandes como membro.

Os vereadores entraram em férias dia 17 de julho e só retornam no dia 2 de agosto. No entanto, Serginho Castilho garante que vai seguir o rito do processo mesmo com o recesso. São cinco dias para a comissão avaliar a denúncia e os vídeos, e o presidente J. Rabelo terá 10 dias para apresentar sua defesa.

Eudes Venâncio é o presidente da Câmara enquanto durar a investigação da comissão.