Sob a coordenação da Superintendência Estadual de Turismo (Setur), aconteceu neste mês de abril, no gabinete da Secretaria Estadual do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), reunião cuja pauta principal foi discutir a construção da agenda conjunta para elaboração do Plano de Uso Público do Parque Estadual Corumbiara (PEC), através do estabelecimento de mecanismos de articulação para efetivação das interfaces de suas competências, visando a implementação de ações conjuntas para promover a inserção dos princípios de sustentabilidade ambiental no desenvolvimento das atividades turísticas.

O Plano de Manejo do Parque Estadual Corumbiara foi elaborado em 1995

O Plano de Manejo do Parque Estadual Corumbiara foi elaborado em 1995, e passados mais de 12 anos de sua elaboração, o documento original do Plano de Manejo do PEC foi revisado, em 2009, com o objetivo de adequar seu conteúdo à nova realidade circundante e de orientar a sua implementação.

Um aspecto estratégico que deve ser abordado em relação à unidade de conservação refere-se à sua posição fronteiriça com a Bolívia, em especial com o Parque Nacional Noel Kempff Mercado ao sudeste. O acesso até a unidade de conservação pode ser terrestre ou fluvial, o acesso fluvial é pelos rios Guaporé e Mequéns. O acesso terrestre pelas principais cidades da região, que são Vilhena, Ji Paraná, Alta Floresta do Oeste, Corumbiara, Cerejeiras e Pimenteiras do Oeste.

A rodovia BR-364 e a RO-399 fazem a ligação entre Vilhena e os municípios de Cerejeiras, Corumbiara e Pimenteiras do Oeste. As rodovias estaduais que fazem ligação entre os municípios de Alta Floresta do Oeste e Alto Alegre dos Parecis são a RO-010, RO-491, RO-490.

As ações gerenciais propostas são iniciativas de caráter geral, essenciais para que a visitação ao PEC possa se desenvolver. Referem-se: às estratégias de sustentabilidade e ao mecanismo de arrecadação financeira que devem ser concebidos, inicialmente, a fim de gerar recursos para todas as ações necessárias para promover o uso público; à identidade visual do PEC, fundamental para qualquer ação de divulgação; e à utilização da internet para promoção do PEC e região, o que exige baixos investimentos.

Adicionalmente, as ações gerenciais propostas estão relacionadas com a gestão do Parque de Corumbiara e com o contínuo desenvolvimento no decorrer dos anos, e com a instalação de infra-estrutura básica (como bases de apoio, sinalização e compra de equipamentos).

SOBRE O PARQUE

As ações são essenciais para que o parque possa se desenvolver

O Parque Estadual de Corumbiara foi criado pelo Decreto Estadual nº 4.576 de 23 de março de 1990 e modificado pela Lei Estadual nº 690 de 27 de dezembro de 1996, com área de 424.339,11 (quatrocentos e vinte e quatro mil, trezentos e trinta e nove hectares e onze centiares) e está localizado no extremo sul do estado de Rondônia, abrangendo partes dos municípios de Cerejeiras, Pimenteiras do Oeste e Alto Alegre dos Parecis e sendo, ainda, margeado pelos municípios de Corumbiara e Alta Floresta do Oeste.

Adquiriu essa categoria por conta das belezas cênicas e do potencial turístico que a região apresenta.

A reunião contou com a participação do superintendente da Setur, José Gilvan Pereira da Silva Junior, do secretário da Sedam, Elias Rezende, do Coordenador de Ações Turísticas da Setur, Saulo Giordane, da chefe de Ações Turísticas da Setur, Camila Canova, da engenheira florestal e de Segurança do Trabalho, Sebastiana S. Silva Almeida, e do coordenador de Unidades de Conservação da Sedam, Denison Trindade.