PORTO VELHO –  Chama-se Trilhos do Tempo a exposição em homenagem à lendária Estrada de Ferro Madeira Mamoré, de autoria do artista plástico porto-velhense Amaury Dantas, atualmente morando em Mirassol (MT). O público poderá vê-la até 24 de junho, na Galeria Afonso Ligório, da Casa de Cultura Ivan Marrocos, em Porto Velho.

O acervo de Amaury é formado por 15 obras produzidas partir das fotos Dana Merrill, fotógrafo oficial que relatou em fotografias a construção da ferrovia construída 105 anos atrás. A mostra tem a curadoria de Margot Paiva.

As telas de Amaury trazem momentos importantes, entre eles o início das obras e o surgimento da cidade de Porto Velho, retrato dos acampamentos móveis montados junto aos trilhos e homenagens a quem vivenciou esse fato.

Veja o vídeo de Ricardo Peres

Destacam-se na mostra, trabalhadores de mais de 50 nacionalidades e o idealizador da obra, o empresário Percival Farquhar.

A iconografia dessa obra mostra suas proporções gigantescas de as marcas que deixou na história amazônica e do País. Na época, Mato Grosso não era um estado dividido como hoje, mas uma província única que englobava também o Estado de Rondônia.

Criada para interligar o oeste brasileiro ao corredor de exportação que liga o Rio Amazonas ao Oceano Atlântico, a Madeira-Marmoré foi pensada para beneficiar o escoamento da produção agrícola da região. A 15ª ferrovia construída no País estendeu-se por 366 quilômetros, ligando Porto Velho a Guajará-Mirim, na fronteira brasileira com a Bolívia.

Clique e amplie