PORTO VELHO – O deputado estadual Doutor Neidson denunciou ontem que o atendimento médico à população de Extrema, na Ponta do Abunã, está comprometido por falta de médicos. Om parlamentar disse que no hospital de Extrema, cinco médicos pediram demissão devido à implantação do ponto eletrônico, medida adotada pelo Governo do Estado devido a uma determinação do Ministério Público. Ele afirmou que a medida deveria ter sido iniciada nos hospitais maiores.

“O secretário de Saúde me disse que teria problemas. Vejo a medida como necessária, mas acredito ser preciso fazer um estudo sobre isso”, disse Adailton Fúria (no centro, ao microfone).

Nem um dos dois deputados deram maiores detalhes quanto a essa atitude dos médicos de não aceitar a implantação da folha de ponto.

 Queima de pneus

Na mesma reunião, a Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social se reuniu no Plenarinho 2 na manhã desta terça-feira (17), sob a presidência do deputado Adailton Fúria (PSD), e aprovou o Projeto de Lei nº 110/19, de autoria do deputado Geraldo da Rondônia (PSC). A matéria trata da proibição de queima de pneus no Estado.

A relatoria do projeto coube ao deputado Dr. Neidson (PMN). Ele disse que a queima de pneus causa danos à saúde de quem inala ou fica exposto, podendo causar mortalidade prematura, devido a problemas no coração e no sistema nervoso central. Assim, ele foi favorável ao PL.

Os deputados Fúria, Dr. Neidson e Ismael Crispin (PSB) votaram favorável e o projeto foi aprovado, seguindo agora para o Plenário.

Depois disso Adailton Fúria distribuiu para relatorias os projetos 180/2019; 213/2019 e 215/2015.

Fotos: José Hilde-Decom-ALE-RO