PORTO VELHO – Cinco dias após naufragar no rio Madeira, com a irmã, Cleidiane Ribeiro da Cunha, e um caseiro, o cinegrafista Clebson Ribeiro, da Rede Amazônica de Porto Velho, continua desaparecido.

O cinegrafista Clebson Ribeiro, 38 anos, tem três filhos. Estava afastado das funções há cerca de um ano.

Clebson Ribeiro, 38 anos, tem três filhos. Estava afastado das funções há cerca de um ano, recuperando-se de traumas decorrentes de acidente com moto. A mãe dele, que também lamenta o desaparecimento da filha, é mantida sedada, sem condições de falar.

Os três faziam passeio pelo rio Madeira quando, segundo os Bombeiros, caíram no rio durante uma tempestade, na região de Portochuelo, área ribeirinha da capital. Um tio de Clebson confirmou que os ocupantes do barco estavam em um passeio em retornavam ao sítio da família quando sumiram.

Apesar das dificuldades impostas pelo próprio rio, os Bombeiros continuam as buscas pelas três vítimas. As buscas começaram na manhã do último sábado (7) e as equipes retornaram ao local do acidente durante a tarde. Um helicóptero do Núcleo de Operações Aéreas (NOA) chegou a ser usado na ação de resgate.

Na sequência, um grupo dos Bombeiros tentou retomar as buscas por cinco pontos da região, mas não foi possível. Na manhã de domingo os trabalhos foram retomados por volta das 7h e encerram no final da tarde. As vítimas ainda não foram localizadas.

O local onde a embarcação afundou fica a cerca de 50 quilômetros da área urbana de Porto Velho. Uma testemunha viu a embarcação virando na água com as vítimas.