PORTO VELHO – Com o emprego ameaçado, os trabalhadores do transporte urbano de passageiros de Porto Velho recorreram à Câmara Municipal para tentar barrar o projeto que pretende extinguir a figura do cobrador, dos ônibus que atuam na capital.

Vereador Da Silva defende a manutenção dos cobradores nos ônibus de transporte urbano de Porto Velho.

Nesta terça-feira (20), o vereador Antônio Carlos da Silva (PSB), o Da Silva do Sinttrar, apresentou projeto de emenda à lei 2.274, de dezembro de 2015, que estabelece normas sobre o transporte coletivo urbano de passageiros do Município. “A emenda é aos artigos 1, 2 e 3 da lei. O objetivo é que os cobradores permaneçam nos ônibus, tendo assim a manutenção de seus empregos”, explica.

Segundo ele, a empresa responsável pelo transporte urbano de passageiros que atende a capital quer sacrificar o papel do cobrador para reduzir custos. “Não é o cobrador que está atrapalhando o sistema de transporte, é a administração”, salientou o parlamentar.

Da Silva defende que o cobrador é importante para sociedade. A emenda apresentada por ele foi aprovada em primeira votação. A segunda votação acontece na próxima segunda-feira (26).

Da Silva apresentou Emenda à Lei Municipal 2.274/2015, para impedir que a função do cobrador seja extinta.

A LEI

De acordo com a lei, as empresas permissionárias do serviço de transporte coletivo urbano de passageiros de Porto Velho deverão manter controle de passageiros, por intermédio de catraca, preservando a função do cobrador.

A inobservância das normas contidas na lei poderá implicar inclusive em multa no valor de 1 mil UPF (Unidade Padrão Fiscal), do Município de Porto Velho, por cada infração e por cada ônibus que estiver em desacordo com a legislação.