VILHENA – Em sessão marcada para esta quinta-feira (1º), a Câmara Municipal de Vilhena decidirá o destino dos vereadores Wanderlei Graebin (PSC), Carmozino Alves (PSDC) e Junior Donadon (PSD), após leitura do relatório formulado pela Comissão Parlamentar de Inquérito, instaurada há 120 dias para investigá-los.  O parecer emitido ontem (30) recomenda a condenação dos acusados, que já estão afastados do exercício da função pela Justiça. 

Os três parlamentares são acusados de participar de um esquema de corrupção envolvendo a aprovação de loteamentos em troca de vantagens. Eles foram presos em uma operação realizada pela Polícia Federal em outubro e novembro do ano passado.
Segundo informa a Folha do Sul, o capítulo final, que ocorre com o julgamento, pode cassar os mandatos do três parlamentares, acusados de quebra de decoro parlamentar e por terem recebido vantagens em razão do cargo, descumprindo regimento interno da Casa e o decreto 201/67, que dispõem sobre as possibilidades da cassação de quem ocupa cargo eletivo.
Apesar de o processo-crime ainda estar tramitando na Vara Criminal de Vilhena e não haver condenação, a Comissão Processante entendeu que os motivos que deram causa às prisões dos parlamentares são o suficiente para impedir que eles permaneçam nos cargos.

A votação começa às 13 h e será presidida pelo vereador Adilson Oliveira (PSDB). A cassação só ocorrerá com o voto de pelo menos nove dos dez edis da Casa, excluindo os que estão sendo julgados. A Comissão Processante não prevê a possibilidade de falta de quórum. 

Cada acusado tem duas horas para fazer sustentação oral através de seus assistentes jurídicos. Os dez vereadores votantes terão 15 minutos para manifestarem e apresentarem justificativas. É possível que o vereador Wanderlei Graebin (PSC) seja o único a atuar em defesa própria. Carmozino será representado pelo advogado José Francisco Cândido. Junior Donadon, por ter renunciado ao mandato, não deve comparecer à sessão.
De acordo com presidente da CPI, Carlos Suchi (PTN), a votação deve ocorrer por volta das 20 horas, quando haverá a possibilidade de o público participar da fase mais importante da sessão extraordinária, que é a publicação do veredito.