Aprenda como não cair mais em Fake News

41

Disseminada nas principais plataformas digitais como facebook, instagram, twitter e whatsapp, as chamadas Fake News são notícias falsas, que não representam a realidade, onde possuem um cunho, sempre com o intuito de denegrir a imagem de alguém.

Diariamente a população é bombardeada com notícias polêmicas, como tráfico de mulheres, sequestro de crianças e até rituais de magia negra, mas vale ressaltar que quem produz este tipo de material está cometendo um crime, uma das últimas notícias que andou circulando era a do vírus Nipah estava sendo transmitido para crianças pelo consumo das lichias, ocasionadas por morcegos, podendo levar a morte, onde a notícia recomendava interromper imediatamente o consumo.

As fakes news são comandadas por organizações criminosas, que compartilham os conteúdos falsos em ilhas de compartilhamento que estão espalhadas no Brasil e exterior.

O impacto é tão grande que este tipo de conteúdo é compartilhado em uma quantidade maior que uma notícia verdadeira, como aponta um novo estudo, conduzido por pesquisadores do MIT, que concluiu que as notícias falsas se espalham na internet seis vezes mais rapidamente que as notícias verdadeiras. E esse resultado de nada tem a ver com a ação de robôs: é fruto do comportamento das pessoas.

Ainda segundo o estudo as notícias falsas se espalharam entre 1 mil e 100 mil pessoas, enquanto que a verdade raramente chegou a mais de 1 mil usuários. A difusão de fake news teve mais alcance, velocidade, profundidade e abrangência do que as notícias verdadeiras.

Mortes na Índia

As consequências são imensuráveis, na Índia até agora pelo menos seis pessoas já morreram linchadas nas últimas semanas pela transmissão de notícias falsas pelo Whatsapp.

Em uma dessas noticias falsas alerta para a chegada de 400 sequestradores de crianças a Bangalore, no sul da Índia. A notícia falsa levou à morte de um homem de 26 anos que havia acabado de se mudar para a cidade, uma das maiores do país, para trabalhar na construção civil. Ele foi atacado na rua por um grupo de pessoas, também sendo espancado até morrer. A polícia não sabe de onde vieram as suspeitas contra ele, mas puderam confirmar sua inocência.
As redes sociais, como Whatsapp e twitter, estão desenvolvendo maneiras de driblar o disseminamento destas notícias, restringindo o compartilhamento em grande escala, mas até agora poucos são os avanços e o compartilhamento ainda continua acontecendo.

Combatendo as Fake News

Para combater e minimizar os crimes, organizações independentes especializadas em checar se o conteúdo é verdadeiro estão sendo bastante solicitadas, mas o mais importante é ter bom senso na hora de compartilhar uma notícia, para isso separamos algumas sugestões que irão te ajudar a não cair na armadilha de compartilhar falsos conteúdos.

1 – Verifique se o site é verdadeiro
2 – A notícia tem data? É recente mesmo?
3 – A notícia é assinada? Por quem?
4- Desconfie de notícias bombásticas;
5- Não confie em links compartilhados nas redes sociais. Vá à página oficial do site, clique na área de “pesquisar no site” e digite palavras-chaves da notícia.

Foto: Ilustrativa

Fonte: Diário da Amazônia