Diversas lideranças indígenas procuraram os vereadores Joveci do Pacarana (PSDB) e Adão Salvatico (PRB), em Espigão do Oeste, para tentar impedir a extinção Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). De posse de várias reclamações e descontentamento das lideranças indígenas, os vereadores entregaram pessoalmente o clamor dos indígenas ao senador Confúcio Moura (MDB/RO).

Diante das reivindicações, Confúcio informou ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que os índios rondonienses não aceitavam a municipalização da saúde, pois as cidades menores não conseguem atender as comunidades mais afastadas, além de aumentar as filas para toda população nas unidades mista de saúde. Após ouvir o relato por parte do senador sobre os grandes transtornos para saúde do índio e não-índios, o ministro optou por manter o órgão.

A Sesai é responsável pela execução da Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas, bem como a descentralização dos Distritos Especiais Indígenas (DSEIs), unidade gestora descentralizada do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena.

Segundo o cacique Marcelo Cinta Larga, membro do Movimento Indígena do Brasil, os municípios não têm estrutura para atender às comunidades mais distante, pois o Estado de Rondônia abriga hoje mais de 14 etnias que, no passado, em virtude da municipalização da saúde, sofreram dificuldades com a forma discriminatória de tratamento.

Os vereadores Joveci do Pacarana e Adão Salvatico parabenizaram a atitude do senador que, com uma rápida interferência junto ao ministro, conseguiu manter uma política pública que beneficia não só os indígenas, mas a população em geral