O projeto “Apadrinhando uma História” será lançado na comarca de Ouro Preto Do Oeste, às 19h, desta quarta (17), no auditório do Fórum Desembargador Cássio Rodolfo Sbarzi Guedes. O projeto sensibiliza e capta pessoas e instituições para se tornarem padrinhos e madrinhas de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional.

O evento será aberto ao público e contará com a participação da Orquestra Fontinele. Na ocasião será disponibilizada uma ficha de pré-cadastro aos candidatos a futuros padrinhos e madrinhas interessados em apadrinhar.

O “Apadrinhando” nasceu na comarca de Porto Velho, pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas). O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO) é um dos parceiros do projeto, por meio da CEJA.

Projeto de Expansão

Desde maio, o projeto Apadrinhando uma História está em fase de expansão para as demais comarcas do Estado. Já foram visitadas as comarcas de Costa Marques, São Francisco do Guaporé, São Miguel do Guaporé, Cerejeiras, Colorado do Oeste e Vilhena.

O corregedor-geral da Justiça de Rondônia e presidente da CEJA, José Jorge Ribeiro da Luz, se diz contente em ver um dos projetos apoiado pela CGJ preenchendo espaços além da capital. “A CEJA tem o objetivo de melhorar o futuro do nosso país, e isso se dá com o apoio a crianças e adolescentes da melhor forma possível. Ficamos felizes em obter apoio de todas as comarcas”, declarou o desembargador.

Modalidades

O “Apadrinhando uma História” conta com três modalidades de apadrinhamento: afetivo, destinado a padrinhos que visitam regularmente a criança ou adolescente com direito a passar fins de semana e férias com o padrinho/madrinha; provedor, que dá suporte material ou financeiro; e o prestador de serviço, caracterizado por um liberal que se cadastra para atender as crianças e adolescentes participantes do projeto, conforme sua especialidade de trabalho, prestando o seu serviço.